top of page
intro-bg.png

Jogos de tabuleiro: os modelos e os mais famosos


Os jogos de tabuleiro, clássica forma de entretenimento, têm evoluído significativamente ao longo dos anos. Desde os tradicionais como Ludo, Damas e Trivial Pursuit, até versões mais complexas com personagens elaborados, gerência e controle de recursos e tarefas variadas para cada jogador, oferecem uma gama de estilos e experiências únicas. Essa diversidade reflete não apenas a criatividade crescente dos designers, mas também a crescente demanda por jogos que ofereçam experiências únicas e envolventes, recentemente impulsionadas por feiras mundo afora e eventos focados exclusivamente em diversão offline.

Esses jogos se tornaram uma das maneiras mais populares de reunir pessoas de todas as idades, proporcionando entretenimento e desafios mentais.

Enquanto os jogos clássicos continuam sendo amplamente jogados continuam sendo os clássicos, os jogos modernos criam novas dimensões e possibilidades. Esses jogos vão além dos tradicionais peões caminhando pelo tabuleiro, movimentação por dados ou carteado. Por meio de gerenciamento de recursos, administração de cartas, coleção de componentes, dedução social ou analítica e inúmeros outros mecanismos, cada jogo é desenvolvido para criar a experiência ideal para determinado público e transmitir seus conceitos de forma mais efetiva. A própria competitividade pode ser tratada de forma mais sadia e estratégica, elevada ao máximo quando necessário ou eliminada totalmente, como nos jogos cooperativos, onde todos os jogadores trabalham juntos para alcançar a vitória coletivamente.

Outro tipo de jogo que vem em crescente ininterrupto desde os anos 1970, são os Role Playing Games (ou Jogos de Interpretação de Papéis). Jogos que misturam ações e reações “inesperadas”, sejam motivadas pelos jogadores ou pelo “mestre” de jogo, e usam elementos do teatro, contação de histórias e narrativa emergente, em conjunto a elementos de wargames, como movimentação tática de miniaturas e resolução de desafios com rolamento de dados.

Esses jogos não apenas aumentam o apelo para públicos mais amplos, mas também abrem caminho para ações educacionais e desenvolvimento de habilidades específicas, como pensamento crítico e resolução de problemas ad hoc.

Principais tipos de jogos de tabuleiro

  • Estratégia: Melhor representado pelos jogos europeus que ganharam o mundo no início dos anos 2000, são jogos no qual os jogadores utilizam do seu pensamento estratégico e habilidade de resolução de problemas para superar seus adversários. Alguns exemplos clássicos são Catan, Carcassone e Puerto Rico.

  • Familiar: Jogos acessíveis e divertidos para toda a família, que utilizam o fator sorte como nivelador para que jogadores de todas as idades possam estar juntos em uma partida. Alguns exemplos de jogos clássicos são jogos de trilha como o Jogo da Vida, Banco Imobiliário e Detetive.

  • Party Games: Também conhecidos como Jogos Festivos, são jogos com foco primário na diversão em grupo e interação social. Aquele tipo de jogo onde o importante está no ato de participar e as risadas que você tira da experiência, e não em descobrir quem é o ganhador. Exemplos de party games clássicos são Imagem e Ação, Pictionary e Taboo.

  • Cooperativos: Jogos cooperativos são jogos nos quais os jogadores trabalham juntos para alcançar um objetivo comum. Aqui, o grande adversário é o próprio jogo. A organização da partida, ações tomadas, recompensas e soluções de problemas são trabalhadas em conjunto por todos os participantes. Exemplos de jogos cooperativos clássicos são Pandemic, a Ilha Proibida e Hanabi.

  • Card games: Jogos de cartas existem há milhares de anos e todo mundo já teve a experiência de jogar Buraco, Sueca, Truco com a família e amigos. Ou ainda Super Trunfo e Jogo do Mico quando mais novos. Com o tempo, estes jogos se diversificaram ainda mais, ganhando diferentes gêneros e possibilidades.

  • Abstratos: são jogos que, como o próprio nome diz, não possuem tema e seu foco é na simplicidade das regras em relação à profundidade estratégica. Alguns dos jogos mais antigos e mais famosos do mundo caem nessa categoria, como Xadrez, Gamão, Damas e Go.

  • Aventura/Narrativa: Jogos que enfatizam a narrativa e a resolução de conflitos que podem ser gerados pelo próprio jogo ou pelos demais jogadores. A experiência aqui é de assumir o papel de um personagem e viver uma história com foco na imersão. Exemplos de clássicos seriam o Tales of Arabian Nights, Betrayal at the House on the Hill ou Werewolf, mais conhecido no Brasil pelas suas versões de domínio popular “Detetive” ou “Cidade Dorme”.

  • War Games: Há jogos de guerra de diferentes tipos e formas. Há aqueles contidos em si por tema ou período histórico (como os baseados em romances de fantasia ou simulando a guerra dos 100 dias), jogos de combate tático de miniaturas (que não deixam de ser uma categoria de jogos de tabuleiro). E ainda jogos de simulação tática (como os aplicados em treinamento militar). O foco deste tipo de jogo é no combate, posicionamento tático de unidades e dominação de terreno ou pontos estratégicos. Jogos de tabuleiro clássicos deste estilo são Axis & Allies, Memoir 44 e o nosso War (ou o seu primo mais velho Risk).

O universo dos jogos não se limita a essas categorias e vários jogos caem em mais de uma delas. Esses rótulos permitem entender melhor as possibilidades e diferentes estilos que um jogo de tabuleiro pode apresentar como experiências lúdicas e ferramentas corporativas.

Melhores tipos de jogos para treinamento de executivos

Quando é necessário o nivelamento de habilidades de executivos de alto nível, o uso de jogos estratégicos de múltipla atividade são bem aceitos e utilizados.

Recentemente, num encontro de “cimeira” da maior empresa de laticínios do mundo, mais de trinta participantes jogaram um jogo de recursos e de influência. Cada grupo de jogadores assumia uma parte da cadeia produtiva da empresa e, além de resolver as questões intrínsecas de cada área, tinha que negociar com os demais “setores” para fazer valer suas estratégias e “vender” suas soluções para o “CEO” (um dos monitores do jogo).

Este é um exemplo de atividade lúdico-interativa (ou gamificada, como preferir) que possa ser aplicada “da prateleira” diretamente para seu corpo de diretoria, executivos ou mesmo para a alta gerência de sua empresa.

De desafios de produção industrial, à entrega de projetos de TI, passando por reforço no workflow de vendas e prospecção de clientes, esses modelos compostos auxiliam executivos (e alta gerência) a entender a complexidade das empresas onde trabalham e a cristalizar processos que normalmente passam despercebidos em suas rotinas focadas.


Se quiser conversar descompromissadamente conosco, estamos sempre abertos a trocar ideias e a apresentar sugestões.


Comments


bottom of page